Porquê (e como) fotografar a própria família no dia-a-dia?

As situações mais corriqueiras do dia-a-dia podem não parecer ser algo muito interessante de fotografar. No entanto, acredito que é aí que os miúdos mais revelam a sua personalidade e são esses momentos que a família, mais tarde, adora recordar. E fotografar esses instantes é algo que vocês próprios podem fazer.

Quando fotografo famílias, seja numa sessão fotográfica mais convencional ou numa sessão documental, apesar de serem os pais a contratarem a sessão, é nos miúdos em quem eu penso mais. As fotografias que faço são para eles, porque sei que no futuro, serão eles serão as pessoas que mais vão gostar de as ver e lembrar de como eram.
Sei isso, porque é exactamente o que acontece comigo hoje, quando olho para as fotografias da minha infância.

E os meus momentos preferidos de fotografar são mesmo os momentos mais corriqueiros do quotidiano, como o vestir os miúdos, a hora da refeição ou mesmo uma simples ida à casa-de-banho. É nessas situações que a personalidade das crianças é mais evidente e serão essas as fotografias que eles mais vão gostar de ver mais tarde.

Por exemplo, as expressões que fazem quando não gostam da comida (e uma eventual birra) ou quando a adoram e a devoram e ficam todos sujos; ou o que fazem quando estão sentados na sanita, pois eles não ficam quietinhos, começam a mexer em coisas que estão ao seu alcance, distraem-se e há alguns que até adormecem; etc.

Mãe a tentar dar comida a criança

E nestes casos, para uma boa fotografia o mais importante é antecipar o que vai acontecer e estar preparado.

Como fotógrafa que acompanha a família no seu dia-a-dia, grande parte do meu trabalho é preparar-me e antecipar esses instantes: observar o comportamento dos miúdos, perceber o espaço para uma boa composição e bom aproveitamento da luz, e antecipar o que vai acontecer.

Vocês, pais, têm aqui uma grande vantagem. Conhecem os filhos melhor que ninguém e já conhecem essas expressões e gestos, e quando é que surgem. Assim, é só prepararem-se para o que vai acontecer e disparar no momento certo. E se, mesmo assim, não resultar, sabem que esses momentos se vão repetir, e oportunidades não faltarão.

Querem saber mais sobre como fotografar o dia-a-dia da vossa família? Subscrevam a newsletter (formulário em baixo) e tenham acesso a conteúdo incrível (prometo!) e também receberão de oferta um mini-ebook com esta e outras dicas.

 

Agenda limitada em 2019

Pelo melhor motivo do mundo, a agenda para sessões será limitada durante este ano.

Pois é, eu estou grávida e daqui a uns dias esperamos a chegada do nosso primeiro filho. Ao mesmo tempo que a barriga cresce, cresce também ansiedade de o conhecer! Mal podemos esperar.

Barriga de gravidez

Devido ao nascimento do bebé, irei fechar a agenda durante uns meses, retomando a marcação de sessões para a partir de Maio/Junho e, mesmo depois disso, a disponibilidade será muito limitada.

Por esse motivo, caso gostarias de fazer uma sessão a partir do início do Verão, convém reservar com bastante antecedência. Para saber mais informações e garantir a vaga, é só entrar em contacto (info@anapratas.com ou 969080297).

Lembro também que podes subscrever a newsletter, no formulário em baixo, através da qual terás  acesso a conteúdo exclusivo sobre o meu trabalho, fotografia de família ficando a par de todas as novidades em primeira mão. Ao subscrever, recebes também como oferta um mini-ebook bem giro com “5 dicas para fotografar o dia-a-dia da tua família”.

Começa o ano novo a fotografar a tua família

Vem aí uma nova newsletter e com ela um presente de Natal (muito atrasado) a todos os subscritores.

Pois é, já há algum tempo que não passava por aqui. O último ano passou a correr e já temos outro está a iniciar.

E porque o Natal foi há pouquinho tempo, tenho para vocês um presente bem especial! Eu adoro fotografar a minha família e aposto que vocês também. 

Por isso, juntei num mini-ebook 5 dicas para fotografar o dia-a-dia da vossa família, para vos inspirar a fotografar a vossa família mais e melhor.

Para ter acesso ao pdf, é só subscrever a nova newsletter inserindo o teu email no formulário em baixo. Ao fazer parte desta lista terás acesso a conteúdo exclusivo sobre o meu trabalho, sobre a fotografia de família em geral e também estarás a par de todas as novidades em primeira mão.

Vou adorar ter-vos por lá!

5 razões para fazer uma sessão fotográfica documental de família

A fotografia documental de família é recente. Embora fora de Portugal, já seja mais comum uma família contratar um fotógrafo para documentar o seu dia-a-dia, por cá esta abordagem está ainda a dar os primeiros passos.
Por esse motivo, deixo-vos aqui algumas das razões pelas quais uma sessão fotográfica documental pode ser o ideal para a vossa família.
 

1 – Não há a chatice de posar para a câmara

numa sessão documental de família não há poses
Pois é, numa sessão documental não há fotografias posadas. Não me vão ouvir dizer “sorriem para a câmara”, nem vos coloco na pose da família feliz perfeita. Fotografo o vosso dia, tal e qual como o vão vivendo sem interferir nos vossos momentos.
 

2 – As fotografias são reais

na fotografia documental os momentos são reais
Ao passar um dia com uma família, os miúdos sentem-se à vontade, são eles próprios, seja nos momentos de brincadeira, como nos mais calmos. É durante os momentos mais corriqueiros que a personalidade deles vem à tona e torna-se possível fotografar aquelas expressões características de cada um. É também durante o dia-a-dia que acontecem os gestos mais genuínos de carinho.
 

3 – Não é preciso esperar pela luz ideal para as melhores fotografias

momento entre mae e filha com pouca luz
Uma sessão “um dia na vida” tem início bem cedo, quando as crianças acordam, e termina à noite, quando se vão deitar. Durante este tempo, vamos ter momentos com uma luz espectacular e outros em quase escuridão. A única constante são as pessoas e os momentos que acontecem. E estes não têm hora marcada.

 

4 – Não é preciso arrumar a casa

casa de uma familia durante uma sessao fotografica documental
Uma das preocupações que surge por vezes é a desarrumação da casa: “a minha casa está o caos!” ; “os miúdos estão sempre a desarrumar!”. Com miúdos, pode ser difícil manter a casa limpinha e arrumada. Eu (ainda) não tenho filhos e já tenho essa dificuldade, mas a boa notícia é que numa sessão documental não se devem preocupar com isso. O objectivo é fotografar a vossa família tal como é normalmente.

 

5 – Valor das fotografias no futuro

pai a abracar filho na cozinha antes de sair para o trabalho
O resultado de uma sessão fotográfica documental é um conjunto cuidado de fotografias focadas nas pessoas, nas suas emoções e relações. Daqui a uns anos, essas fotografias terão uma importância e um valor inestimáveis. Especialmente para os miúdos. Quando forem crescidos, vão adorar ver como brincavam, como amuavam; o que adoravam comer (ou detestavam); os seus espaços, como a casa em que cresceram, o quarto ou o restaurante preferido.
A estas fotografias estão associadas sensações como a alegria e o carinho, e é certo que voltarão a sentir isso tudo de cada vez que olharem para elas.