Category Archives: The Way I View

This a project that was done throughout the year of 2013 in collaboration with two fellow photographers: Dado Calabresi and Patrícia Matias.

Each month we photographed and shared the images  within a theme selected by all of us. Each of these posts corresponds to each monthly theme.

It is possible that the links to Dado and Patricia’s images stopped working as both of their blogs have been discontinued.

The Way I View… Summertime

(no english version available)

Para mim, Verão é sinónimo de família e praia. Não é uma praia qualquer, é aquela praia com aquelas pessoas. A praia, as brincadeiras com os miúdos, as conversas, os livros, as bolas de berlim, as caminhadas pela falésia, as idas a nado até à gruta (esta gruta!), o levante, as raquetes, os passeios de canoa e muito muito mais têm feito o meu Verão todos os anos, desde que nasci.

Este ano, pela primeira vez, foi diferente. Não estive naquela praia (estive noutra bem pertinho), mas mesmo assim, em cinco dias muito curtos, consegui fazer um pouco do meu Verão. Apenas levei o iPhone e a minha analógica e, por enquanto, aqui vão as imagens que fiz com o iPhone.

Depois, não se esqueçam de passar pelo blog do Dado.

twiv summertime

The Way I View… People

(no english version available)

O título para o tema deste mês não diz tudo sobre o desafio a que nos propusemos. (E que desafio!) A ideia para este mês consistiu em retratar pessoas que nos fossem estranhas abordando-as na rua, explicando o projecto e esperar que nos deixassem fazer uma fotografia. No final, cada um de nós teria um conjunto de imagens que, de alguma maneira, transmitissem o modo como vemos as pessoas.

A ideia de abordar pessoas na rua aterroriza-me e a maneira como escolhi fotografar (fazendo silhuetas) acaba por transmitir um pouco essa sensação de timidez (da minha parte) e receio de exposição (da parte dos fotografados).

Com a intenção de fotografar crianças e famílias, optei por me deslocar até à praia da Barra ao final do dia e abordar as famílias que estavam a sair. Devo dizer que só à quarta ou quinta família que passou por mim é que ganhei coragem para os abordar. Quase todas as famílias que abordei aceitaram o desafio e, por isso mesmo, queria deixar aqui um muito obrigada a eles! Espero que tenham gostado do resultado. Acabou por ser uma experiência muito divertida (os miúdos gostaram muito) e muito gratificante.

Depois, toca a ir ao blog da Patrícia :))

The way i view people

 

The Way I View… a Day in the Life

(no english version available)

Este projecto com o Dado e a Patrícia está chegar ao ponto em que as ideias se começam a desenvolver à séria. Nos bastidores (mais propriamente no chat do facebook) temos conversas do género: ” E se nosso próximo mês fizéssemos isto? Nah, no próximo fazemos aquilo. Ok, então fazemos aquilo daquela maneira assim e depois pomos essa ideia em prática”. E é assim que alguns dos temas vão surgindo. E o deste mês foi tal e qual. Já tínhamos vontade de utilizar exclusivamente o iPhone para um dos temas e de alguma maneira documentar as nossas rotinas. Assim sendo, lançámos o desafio a nós próprios e das 8h da manhã às 23h do dia 11 de Junho, à hora certa (ok, tive de fazer alguma batota aqui, mas o propósito cumpriu-se), lá fizemos uma fotografia onde quer que estivéssemos.

Devo dizer que não podíamos ter escolhido  pior dia. Foi um dia cinzento, escuro e para mim, estando cerca de 6-7horas na mesma sala, não foi nada fácil fazer algo com criatividade. De qualquer maneira aqui vão os meus 16 momentos de um “dia da minha vida” actual 🙂

Depois, passem pelo blog do Dado e ver o dia dele.

adayinthelife

 

The Way I View… Silence

(no english version available)

Costuma-se dizer muitas vezes que “o silêncio é de ouro” e, em muitas situações, é mesmo. Em Portugal e um pouco por todo o mundo vivemos agora em tempos de crise. Ligamos as notícias e só se houve falar em dívidas, bancos, austeridade, cortes, números. Pagar uma dívida (que pertence a quem??) e salvar bancos é mais importante que a vida humana. E nós, porque tem de ser e não temos alternativa, não podemos fazer nada. Ou assim parece e remetemo-nos ao silêncio. Mas desta vez o silêncio não é de ouro, muito pelo contrário. Sim, há pessoas que lutam contra isto tudo, há manifestações e protestos organizados, mas ao mesmo tempo ainda há muita gente adormecida e passiva perante esta situação (eu incluída).

Quando comecei a pensar em “como vejo o silêncio” e em como iria abordar este tema, reencontrei esta música que, apesar de ter sido escrita há cerca de 50 anos, continua actual. Vi, então, aqui uma oportunidade para contrariar um pouco esse silêncio e reforçar que mais do que nunca o silêncio não é de ouro. Aliás, nas palavras de Simon e Garfunkel “silence like a cancer grows“.

Não se esqueçam de passar pelo blog da Patrícia e ver como ela vê o silêncio.

TWIV-Silence-1